Conferência Episcopal de Angola e São Tomé

COMUNICADO DE IMPRENSA

09-11-2015

DELIBERAÇÕES

Os Bispos depois de frutuosos debates aprovaram:

1.    A Mensagem Pastoral para o último ano do triénio: “A Paróquia Centro de irradiação da Nova Evangelização”.
2.    A Nota Pastoral sobre os 40 anos da Independência de Angola.
3.    Nota de esclarecimento sobre a não expansão do sinal da Rádio Ecclesia em todas as Dioceses de Angola e será lida em todas as Igrejas no domingo, dia 15 do mês e ano em curso .
4.    Os Estatutos da Associação de Biblistas de Angola (Ad experimentum por 3 anos)
5.    O Diretório Nacional de Catequese (ad experimentum por 3 anos);
6.    Os Estatutos da Liga Missionária

7.    As eleições realizadas ditaram os seguintes resultados: Presidente: D. Filomeno do Nascimento Vieira Dias;      Vice Presidente: D. José Manuel Imbamba     Secretário Geral: D. António Francisco Jaca;    Vice Secretário Geral: D. Dionísio Hisiilenapo.
COMISSÕES EPISCOPAIS:  CONSELHO PERMANENTE: D. Filomeno do Nascimento Vieira Dias, D. José Manuel Imbamba; D. António Francisco Jaca, D. Dionísio Hisiilenapo, D. Gabriel Mbilingi, D. Emílio sumbelelo, D. Almeida Kanda, D. Estanislau Marques Chindecasse, D. José de Queirós Alves e D. Manuel dos Santos. 1. Comissão Episcopal para a Bíblia, D. Dionísio Hisiilenapo; 2. Comissão Episcopal para as Vocações, D. José Nambi e D. Serafim Shyngo Ya Hombo; 3. Comissão Episcopal da Família, D. Emílio Sumbelelo; 4. Comissão Episcopal do Apostolado dos Leigos, D. Dionísio Hisiilenapo; 5. Comissão Episcopal do Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso, D. Francisco da Mata Mourisca; 6. Comissão Episcopal de Justiça e Paz, D. Gabriel Mbilingi; 7. Comissão Episcopal para Evangelização e Catequese, D. Eugénio Dal Corso e D. José de Queirós Alves; 8. Comissão Episcopal dos Seminários e Doutrina da Fé, D. Pio Hipunyati; 9. Comissão Episcopal de Educação e ensino, D. Almeida Kanda; 10. Comissão Episcopal das Comunicações Sociais, D. Jesus Tirso Blanco e D. José Manuel Imbamba; 11. Comissão Episcopal das Missões e Obras Missionárias Pontifícias, D. Joaquim Ferreira Lopes; 12. Comissão Episcopal da Juventude, D. Zeferino Zeca Martins; 13. Comissão Episcopal do Clero, D. Benedito Roberto; 14. Comissão Episcopal da CARITAS, D. Estanislau Marques Chindecasse; 15. Comissão Episcopal da Pastoral da Criança, D. Oscar Braga; 16. Comissão Episcopal de Liturgia, D. Luzizila Kiala; 17. Comissão Episcopal da Cultura, D. José Manuel Imbamba e D. Francisco Viti; 18. Comissão Episcopal da Saúde, D. Francisco Viti;  19. Comissão Episcopal para a Vida Consagrada, D. Vicente Carlos Kiaziku; 20. Comissão Episcopal para a Universidade Católica, D. Filomeno do N. Vieira Dias e D. Zeferino Zeca Martins; 21. Reitor da UCAN, P. Doutor José Manuel Imbamba. 22. Representantes da CEAST: para IMBISA, D.Estanislau Marques Chindecasse; para SECAM, D. Zeferino Zeca Martins.

CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

1. Os Bispos reiteraram quanto disseram na Plenária de Lwena, nomeadamente, ao reconhecerem que “a celebração dos 40 anos da nossa Independência é uma ocasião ímpar para uma reflexão profunda sobre o que devemos continuar a fazer para dignificar e honrar esta grande conquista do povo angolano e para fazer chegar os benefícios da Independência a todos os cidadãos. Por isso, encorajam a todos os angolanos a assumirem comportamentos e atitudes nobres para que a construção da paz, da unidade e da reconciliação nacional seja sempre um compromisso assumido e renovado no nosso dia a dia. Outrossim, apelam para que as grandes decisões que afectam o Estado angolano sejam sempre tomadas em consenso para o bem de todos, colocando, desta forma, os interesses da Pátria acima dos interesses partidários”.

 2. Os Bispos refletindo sobre o momento actual marcado por alguma tensão social, agravada pela crise financeira, afirmaram e apelaram para o seguinte:
a) Afirmaram a urgência de manter as portas do diálogo sempre abertas para que todos se sintam necessários e envolvidos no processo de transformação da sociedade que deve crescer sobre as bases sólidas da justiça, da paz, da unidade, da verdade, da reconciliação e da democracia.
b) Afirmaram e encorajaram a luta contra a pobreza e o analfabetismo, contra toda a forma de exclusão social e contra a especulação monetária descontrolada que muitas incertezas e sofrimento está a provocar no seio das populações.
c) Afirmaram a necessidade de todas as forças vivas da sociedade conjugarem energias, saberes e experiências para uma ampla educação cívica dos cidadãos para que diminuam no seu seio os focos de violência, violações sexuais, alcoolismo e sinistralidade rodoviária.
d) Apelaram a que todos trabalhemos pela manutenção do clima de paz, respeito pelos direitos constitucionalmente garantidos e pela consolidação das bases estruturantes e valorativas para uma convivência saudável entre governantes e governados e estes entre si, evitando toda a espécie de violência gratuita, seja ela física, moral, política ou cultural.

3. Os Bispos repudiaram todas as formas, claras ou veladas, tendentes à instrumentalizar a Igreja para fins inconfessos e que nada têm a ver com a sua identidade e missão: ela estará sempre ao serviço da dignidade da pessoa humana, ajudando-a a ser bom cidadão na terra e no céu, segundo o espírito das bem aventuranças.
4.  Ouvidos os relatórios das distintas Comissões Episcopais, os Prelados enalteceram o esforço de todos os membros das comissões em cumprir os objectivos traçados, como forma de melhor servir a Palavra do Senhor entre os irmãos. Todavia, reconheceram a necessidade dum Secretariado Nacional de Pastoral mais dinâmico, eficaz e eficiente, capaz de dialogar com todas as comissões e pôr em marcha as decisões.
5. Outrossim, lamentaram a fraca participação do clero nas formações programadas para as Arquidioceses do Lubango e Saurimo, pedindo aos sacerdotes a não desperdiçarem esta oportunidade ímpar que lhe é oferecida. Por outro lado, deploraram o comportamento indevido manifestado por alguns grupos de carismáticos, tendo apelado a que se atenham àquilo que a doutrina da Igreja recomenda.

AUDIÊNCIAS E CELEBRAÇÕES

Ao longo dos trabalhos os Bispos tiveram as seguintes audiências:
1.    Os membros da Comissão Central do CENA (Congresso Eucarístico Nacional de Angola) que apresentaram os passos já dados para a realização do referido evento, bem como as sob-comissões de trabalho.
2.    Receberam o Senhor Rafael D’Aqui, Director da Seccão África da Kirch in Not, que falou sobre a importância da cooperação existente entre as duas instituições, tendo renovado o interesse de apoiar projectos que visem a formação de sacerdotes e a evangelização.
3.    O  Presidente da ACGD Nacional que deu a conhecer os últimos desenvolvimentos da associação a nível do País, bem como da UNIAPAC a nível da África.
4.    O Conselho Directivo da CANONICI que forneceu informações úteis sobre a evolução das actividades de impacto social e sobre os próximos compromissos.
5.    O Director da Rádio Ecclesia que apresentou o relatório anual e deu a conhecer os principais problemas da actualidade.
6.    Os membros da direcção da CSMIRA (Conferência dos Superiores Maiores dos Institutos Religiosos de Angola), com quem abordaram aspectos ligados às relações mútuas e aos compromissos sempre renovados em prol da evangelização, sobretudo, aos mais necessitados das zonas mais recônditas do País.
7.    A Financeira da CEAST, Ir. Rodina Nasapalo, que apresentou o Relatório de Contas e os futuros compromissos financeiros da CEAST.
8.    Os Doutores Sebastião Martins e Fátima Viegas que ofereceram aos Prelados as suas respectivas obras recentemente publicadas.
9.    Enfim, ouviram com agrado os relatos dos Delegados da CEAST ao Sínodo sobre a Família (Roma) e ao Encontro Mundial da Família (Filadélfia).
10.    No dia 7 do mês e ano em curso, os Bispos, no quadro das comemorações dos 40 anos da Independência da República de Angola, participaram do colóquio sobre “A Igreja Católica e a Luta de Libertação de Angola”, organizado  pela UCAN, com apoio da Comissão Episcopal de Justiça e Paz e do MOSAICO.
11.    No domingo, dia 8, como é costume durante as plenárias, os Bispos tiveram uma solene concelebração eucarística, na Paróquia de S. João Baptista, Cacuaco, Diocese de Caxito, onde renderam graças a Deus pelos 40 anos de Independência.

Luanda, 9 de Novembro de 2015

OS BISPOS DA CEAST