Conferência Episcopal de Angola e São Tomé

Assembleia 2006

Assembleia 2006

De 23 a 30 de Outubro decorreu em Luanda a IIª Assembleia Anual Ordinária da CEAST

Abriu os trabalhos o Senhor Arcebispo de Luanda e Presidente da CEAST, Dom Damião Franklin, que depois de saudar o senhor Núncio Apostólico, procedeu a análise das actividades da CEAST no último triénio e a apresentação dos desafios que se colocam à missão da Igreja nos nossos dias.
Dom Damião Franklin apontou, entre outros, como grandes desafios o crescimento demográfico, sobretudo o crescimento dos aglomerados urbanos, o prevalecer da mentalidade feiticista em ambientes cristãos, a continuidade da reflexão sobre a segurança social do clero e os convénios com os institutos religiosos; na vida social destacou a necessidade da multiplicação de esforços para a consolidação da paz e reconciliação nacional, o acompanhamento atento das questões eleitorais, e a expansão da pobreza.

I. Assuntos tratados:

  1. O segundo dia de trabalhos foi marcado pelo encontro entre os bispos e os superiores e superioras maiores dos institutos religiosos que trabalham em Angola. O encontro, que durou todo dia, foi um momento particular de comunhão eclesial e de partilha de preocupações e responsabilidades. Neste encontro ficou vincada a necessidade do aprofundamento do diálogo entre a CEAST e os membros da USMIRFA E CSMIRMA em ordem a uma maior comunhão pastoral na missão comum.
  2. Os dias seguintes foram dedicados à informação sobre a situação sócio-politica e religiosa das diferentes dioceses do país e a escuta e análise dos relatórios dos diferentes órgãos da CEAST e serviços de apoio à pastoral nacional.
    Da leitura dos relatórios das dioceses, registamos:
    • Que se verifica uma lenta retoma económica com maior incidência no comercial, tardando o despontar do sector agro-industrial que em termos do país real deve constituir a alavanca do desenvolvimento nacional.
    • Notamos uma maior atenção às estruturas de natureza social e administrativa, como escolas, centros de saúde e serviços administrativos, o que esperamos se estenda às zonas mais remotas da Nação.
    • Verificamos um grande esforço de consciencialização e mobilização das populações para o processo eleitoral. Esperamos que tudo isto seja o prelúdio de um processo eleitoral isento, transparente e participativo. Pois o destino das sociedades democráticas depende em muito da maior informação, esclarecimento, comunicação e participação de todos.
    • Verificamos ainda o perdurar de actos de intolerância política em algumas regiões do País. Convidamos todos a uma convivência política alicerçada nos princípios do respeito pela diferença, no direito universal à livre opinião e à liberdade de consciência, no respeito recíproco. Angola deve tornar-se Pátria das liberdades.
    • Lamentamos que na Região da Lunda Norte, Bacia do Cuango, algumas empresas diamantíferas e seus serviços de segurança violem gravemente os direitos das populações locais. Impedem a livre circulação de pessoas, o acesso às lavras, e privatizam rios e nascentes que outrora serviam as populações, chegando a fazer justiça nalguns casos com as próprias mãos!
  3. Do relatório das diferentes Comissões e organismos eclesiais constatamos a necessidade de maior comunicação entre as instituições da Igreja, necessidade de maior informação sobre a vida e acção da Igreja na sociedade e urgência de reorganização de alguns serviços da CEAST, dotando-os sobretudo de mais pessoal.
  4. A situação do pessoal missionário não deixou de merecer atenção. Seminários, vida do clero, pessoal missionário e formação permanente dos agentes de evangelização foram abordados.
  5. Preocupa de modo muito especial à CEAST e aos Institutos Religiosos a morosidade que se verifica na emissão dos vistos de entrada e estadia para o pessoal missionário, com consequências no desenvolvimento das obras eclesiais e nos serviços pastorais que se pretende prestar ao nosso povo. Para além do desvio para outros destinos de recursos humanos e materiais tão necessários nos nossos dias.

II. Deliberações

Durante esta Assembleia os Bispos:

Aprovaram o Plano Pastoral da CEAST para o Biénio 2007/2008: Duc in Altum in Santificando” (2007 – 2008 serão anos da Santificação) É um caminho de acção evangelizadora de conjunto a ser seguido por todas as dioceses, tendo em vista o aperfeiçoamento da vida cristã segundo o testemunho e ensino de Cristo: Ser santo é ser perfeito. A santidade é caminho de todos.

Aprovaram a Mensagem Pastoral “Por uma Justiça Económica”.

Aprovaram a “Nota Pastoral aos Catequistas”, sobre o processo eleitoral.

Aprovaram o relatório de Contas da CEAST referente ao ano 2005/2006.

Aprovaram a nomeação do senhor padre Fernando Valente, MG, como Coordenador Nacional da Pastoral Bíblica.

Aprovaram a realização em Luanda (9-12 de Janeiro de 2007) da Jornada Nacional para o aggiornamento do clero e de 6 a 10 de Fevereiro de 2007 a realização da IIIª Semana Social Nacional com o tema “Justiça Social”.

III. Acontecimentos

A Assembleia inteirou-se dos preparativos para a realização em Angola, Luanda, na segunda quinzena de Julho de 2007 da Assembleia Plenária dos bispos da Africa Austral (IMBISA).

A Assembleia exorta as comunidades das nossas dioceses a envolverem-se, desde já, na preparação do Sínodo Especial dos Bispos para Africa a realizar-se em Roma em 2008 sob o tema: “A Igreja em Africa ao Serviço da Reconciliação, da Justiça e da Paz.

Dom Gabriel Bilingue, bispo de Luena, chefiou a delegação angolana (79 membros) que em Valência, Espanha, participou do Encontro Mundial das Famílias que contou com a presença de Sua Santidade o Papa Bento XVI.

Dom Benedito Roberto, bispo do Sumbe, representou a CEAST no Congresso internacional sobre a Promoção da Liturgia em África e Madagáscar, que decorreu em Kumasi, Gana, de 4 a 9 de Julho deste ano.

Dom Damião Franklin participou do VII Encontro das Presidências das Conferências Episcopais dos Países Lusófonos que decorreu em Fátima, Portugal, de 10 a 14 de Outubro corrente.

Celebrou-se com grande adesão de sacerdotes, religiosas, bispos e leigos o 1º Congresso Missionário de Benguela em Agosto passado. Saudamos a Igreja de Benguela, cujo espírito missionário testemunha a catolicidade da nossa Igreja e irmana a nossa terra a outras terras.

Assinalamos ainda a realização na diocese de Novo Redondo, agora diocese do Sumbe, do 1º Congresso Eucarístico que reuniu na fase celebrativa membros da Conferência Episcopal de Angola e S. Tomé, sacerdotes, religiosas e muitos féis.

 

A Assembleia procedeu à eleição dos órgãos da Conferência, conforme consta do documento já publicado recentemente (27.10.2006).